terça-feira, 30 de outubro de 2018

Detetive Particular em - Um caso muito especial.




Um caso muito especial.

Dentro destes 20 anos de investigações, confesso que nos é muito difícil e ao mesmo tempo fascinante, descobrir verdades e analisar os casos que nos chegam, pois diferentes das tramas televisivas e da vasta literatura investigativa, nossas histórias descortinam-se aos nossos olhos, pouco a pouco, cada detalhe e cada verdade toma a sua forma e denota as personalidades envolvidas, por vezes nos surpreendemos com as tramas envolvidas em cada história.
Nosso intuito em “descrever” estes acontecimentos é única e exclusivamente com o objetivo dos nossos amigos e leitores, possam saber da verdade oculta em cada caso, casos obscuros e ocultos entre as paredes de vários lares da nossa sociedade.
Quando realizamos as denominadas investigações “conjugais”, sempre apresentam algumas características comuns, entre elas, o marido ou a esposa, observem que a dita ‘traição’ é apenas uma questão e comportamento e personalidade e jamais de gênero, contudo este caso que descreveremos apresentou particularidades singulares, que fogem do padrão, pela sua característica de planejamento e execução.
Todos os nomes, datas e locais foram trocados não só para preservar a verdadeira identidade dos envolvidos, como disse anteriormente, o que nos interessa é o fato em si, como ele se deu, e até onde chegam as pessoas para atingirem seus objetivos e desejos.
Vamos a história:
Estamos no ano de 2018, mês de janeiro, verão um tanto seco na cidade de São Paulo, o ano acabara de se iniciar, período de férias escolares, a vida vai começando a tomar a sua rotina, nesta grande cidade, estávamos cuidando dos nossos afazeres no pequeno e charmoso escritório de investigações da Baker Street, quando toca o telefone:
-Baker Street, bom dia! – atendi o telefone.
- Bom dia, meu nome é Maria Alice, e preciso muito da ajuda de vocês, peguei seu contato pelos classificados e necessito de uma consulta urgente, estou muito nervosa e desejo saber se vocês podem me atender imediatamente.
Marcamos uma consulta para o mesmo dia, as 15 horas; já a aguardávamos na Baker Street; eu e minha assistente Miriam, esclareço que em casos que envolvem clientes femininas, sempre que possível, realizamos o atendimento com a presença feminina, o que facilita que a cliente, neste momento difícil, possa se abrir e relatar com fidelidade o seu problema.
Na hora aprazada, conversávamos e comentávamos exatamente como a mídia e a sociedade comum, costumam encarar um caso de traição entre casal, um deslize, uma coisa à toa, contudo ao nosso ver, assunto é tão sério, pode mudar a vida e a existência de várias pessoas.
Toca o interfone, a cliente apresenta-se e sobe para a nossa sala de consulta, adentra a sala uma mulher comum, estatura média, cabelos louros, trajando vestes comuns a uma típica dona de casa de classe média paulistana, olhos vermelhos e semblante cansado; após os cumprimentos cordiais pedimos que se sentasse a nossa frente e relatasse os acontecimentos que a levaram a nos procurar:
-Meu nome é Maria Alice, tenho 45 anos e sou casada a 25 anos com o Júlio Cesar de 48 anos, temos 2 filhos adolescentes e moramos num bairro planejado em Alphaville, na grande São Paulo, meu marido é dono de uma pequena Construtora que herdou da família, e fiz aniversário ontem - momento no qual ela começa a chorar e desaba-se em pranto na poltrona que estava acomodada.
Esperamos alguns segundos para ela se recuperar, e prosseguimos a entrevista.
-Mas vamos ao acontecimento que a traz aqui – insisti
-Bom, ontem foi domingo e reunimos a nossa família toda, pais, irmãos e todos os mais chegados e fomos a uma conhecida churrascaria, para comemorarmos meu aniversário; até ai tudo bem; foi quando começaram a chegar várias mensagens de WhatsApp em meu celular, eu estava na mesa e levantei e fui para o banheiro para ler com mais atenção, tratava-se de uma mulher que se disse minha amiga e me alertava para um “caso” amoroso que meu marido estaria vivendo com outra pessoa; eu fui dando atenção e a conversa desenrolou-se por quase 15 minutos; foi quando respirei fundo e retornei a mesa, como se nada tivesse acontecido.
-Você tem essas conversas guardadas? ela se identifica através de um número de celular? – indaguei.
-Tenho sim, respondeu ela, passando-me às mãos seu aparelho de celular.
Tratava-se de uma longa conversa de aplicativo, a malfeitora se identificava como esposa de um amigo do marido, e queria simplesmente abrir seus olhos, para que Maria Alice viesse a separar-se do marido.
Neste momento, Maria Alice, totalmente levada ao desespero, tomava forças em nossas palavras e recomendações.
Deixava-se cair na poltrona que sentara entre prantos e soluços, procuramos acalma-la e após o cafezinho da paz, voltamos ao nosso caso.
Nestes 25 anos de matrimonio, Maria Alice jamais suspeitou que Júlio Cesar pudesse ter uma amante, sabia que já alguns anos seu casamento não era mais um romance, mas ele sempre foi dedicado à família e aos negócios; sua vida em suas horas de lazer resumia-se até então ao clube Atlético, onde assumia o cargo de Diretor de Futebol das categorias de base, e a essa atividade dedicava-se quase que exclusivamente nas suas folgas, sempre na companhia dos seus dois filhos, por este motivo assumia uma condição quase que intocada, aos olhos de sua esposa.
Acertamos os detalhes da nossa contratação, esclarecendo que quando assumimos um caso, nunca sabemos exatamente aonde vamos chegar, cada descoberta, cada intuição corresponde a pequenas vitórias que formam um caso todo.
Iniciamos por investigar quem estaria em posse do número que enviou as mensagens, quem seria está suposta esposa deste amigo do casal? qual seria a sua verdadeira intenção? estas perguntas teriam de ser respondidas antes de mais nada.
O número que enviara as mensagens pelo aplicativo de WhatsApp era de um chip pré-pago, descobrimos estar cadastrado em um CPF pertencente a uma mulher de 30 anos chamada Suzy, médica por profissão, solteira e que residia em um apartamento de um dos edifícios pertencentes a nossa cliente.
Esclarecendo, que embora não ostentassem um alto poder econômico, nossa cliente juntamente com seu esposo, possuíam uma Construtora, que era administrada exclusivamente pelo Júlio César, possuíam alguns condomínios residenciais e comerciais, inclusive uma imobiliária que administrava as vendas e locações das unidades próprias, que resultava em um considerável patrimônio chegando a casas de milhões de reais.
Optamos por investigar Suzy, elaborar um procedimento que chamamos de Dossiê Pessoal, onde investigaríamos seu passado, estabelecendo sua linha do tempo, pessoal e profissional. Descobrimos que ela era a filha mais nova de uma família muito humilde da periferia de Salvador -BA, muito inteligente ingressou na faculdade de medicina local com apenas 17 anos, formando-se aos 24 anos, possuía registro no Conselho Federal de Medicina, como clinico geral, saiu de Salvador aos 24 anos e passou por pelo menos outras 4 capitais nos outros 4 anos e há 2 anos estava em São Paulo. Não apresentava registros criminais, apenas algumas ocorrências onde figurava como vítima ou testemunha, contudo nestes últimos 4 anos não apresentava registro profissional algum, ou seja, não teria tido nenhum vinculo empregatício formal, o que nos chamou muito a atenção, seriam 4 anos residindo em 4 capitais de estados distintos, e ainda nos últimos dois anos, quando já residia em São Paulo, viajara por pelo menos 6 países pelo mundo, passando pelo menos 6 meses dos últimos dois anos em viagens pelo mundo. Possuía em seu nome, um automóvel Mercedes Bens, avaliado em 150 mil reais; em suas redes sociais divulgava especializações médicas e cursos diversos, definindo-se como Psiquiatra, especialista em alguns distúrbios em particular. Não demonstrava nenhum relacionamento sério, ostentava solteirice orgulhosa e independente. Ela com certeza escondia algum segredo, qual seria a sua intenção em invadir a vida e terminar com o relacionamento da nossa cliente? Precisávamos descobrir.
Começamos a seguir e acompanhar a Suzy, não demorou muito até descobrirmos que ela era a verdadeira amante do Júlio Cesar, até aí, seria apenas mais um caso de traição conjugal, como tantos outros que já investigamos.
Contudo, uma coisa ainda nos incomodava, eu explico, quando tomamos um caso, ao sabermos de todos os detalhes, formamos um perfil das pessoas que vamos investigar, no caso do Júlio Cesar, ele não possuía o perfil de um traidor contumaz, ou seja em 25 anos de casamento ele jamais havia traído a esposa, nem possuía sequer o estilo galante, simpático ou conquistador, pelo contrário tratava-se de uma pessoa séria e controladora e de trato muito difícil, que não combinaria com o estilo independente de Suzy.
Assim dos detivemos mais, em descobrir o envolvimento e a maneira como Suzy surgiu na vida de Júlio Cesar, e prosseguimos acompanhando a Suzy, em seu dia a dia, e descobrimos que ela possuía um outro namorado secreto, uma homem de trinta e poucos anos, muito bonito e atlético, que ostentava uma rotina de luxo e viagens, dono de uma loja de automóveis, nós o identificamos pelo nome de Joel.
Joel era um paulistano de 32 anos, bacharel em direito, comerciante que possuía vários imóveis nesta capital, bem como vários carros, e utilizava-se de um BMW de luxo, avaliado em quase 200 mil reais, possui também um passado bem sombrio, abandonado pelos pais, cresceu entre lares desfeitos e internações na antiga FEBEM, onde aprendeu na escola do crime, até seus 26 anos colecionou inúmeras prisões e delitos, chegando a ficar preso por roubo e tentativa de homicídio por quase dois anos.
Há cerca de 6 anos atrás, também morou em Salvador e estranhamente também residiu nas mesmas capitais em que a Suzy, na mesma época, quando chegou a São Paulo, a questão de 2 anos, já veio com um bom capital, montou uma loja de automóveis e adquiriu 4 imóveis, sendo um deles, um apartamento residencial em um edifico de propriedade da Construtora do Júlio Cesar, coincidentemente em frente ao escritório central da Construtora, e após conhecer o Júlio por amigos comuns, ele alugou (com contrato e tudo)o apartamento para que a Suzy, residisse bem em frente ao Júlio, e o conhecesse e iniciassem o romance.
Quanto mais investigávamos, mais as nossas descobertas nos levavam a supor que na verdade, tratava-se não apenas de mais um golpe do baú, em um empresário rico, havia mais alguma coisa por traz deste relacionamento, quando descobrimos que a Suzy, também possuía um Motel registrado e com uma intensa movimentação fiscal, em sociedade com sua irmã mais velha, contudo ao investigar mais a fundo descobrimos que fisicamente este motel nunca existiu, realmente tratava-se apenas de uma construção abandonada na beira de uma estrada qualquer nos arredores da capital baiana, empresa esta, obviamente era utilizada para “lavar” o dinheiro obtido na organização criminosa.
O crescente progresso financeiro de Joel e Suzy, deu-se exatamente nos últimos 6 anos, com certeza algum golpe financeiro que deu certo; assim nos concentramos em investigar qual seria o próximo passo da famigerada dupla com relação a nossa cliente; de uma coisa estávamos certos, eles desejavam que Maria Alice se separasse judicialmente de Júlio Cesar, eles haviam estudado o perfil publico de Maria Alice e a consideravam uma pessoa sem expressão ou capacidade de enfrentar o Júlio Cesar em caso de separação, assim teriam o caminho aberto para que a Suzy prosseguisse com o seu intento criminoso.
Desde o inicio da contratação já haviam se passado pelo menos 10 dias, e a Suzy com certeza permanecia inconformada pelo silencio da Maria Alice com relação a traição do marido, aos olhos de Suzy a Maria Alice estava demorando muito para tomar uma atitude, então ela voltou à carga enviando novas mensagens e citando evidencias da traição.
Nos reunimos com Maria Alice, e relatamos tudo o que apuramos, os fatos, qualificações dos malfeitores e o perigo que corriam neste relacionamento, e que ainda faltava-nos descobrir qual seria o golpe dos malfeitores, pois casamento com certeza não seria a opção da Suzy, não coincidia com o seu perfil, então o que seria? Algum negócio junto a construtora? Somente o Júlio poderia dizer, uma vez que Maria Alice, embora sócia da Construtora, ela jamais havia participado da rotina empresarial do marido.  Maria Alice, embora muito fragilizada por toda essa situação e pelas descobertas, mantinha-se firme decidida a não perder a sua família e não colocar seus filhos em risco, assim ela optou por reunir as nossas provas e um relatório detalhado e abrir o jogo com o Júlio Cesar, imaginava que ele ficaria assombrando com as descobertas e além de ajudar a descobrir a verdade, auxiliaria nas providências a serem tomadas.
Esclareço aos amigos e leitores, que embora com tantas evidências, os malfeitores até o momento não haviam praticado crime algum contra a nossa cliente, e embora nossas investigações apurassem sérios indícios de comportamento criminoso, nosso trabalho é todo composto de informações publicas e deduções, por isso quando entregamos qualquer relatório de atividade aos nossos clientes, sempre temos a certeza do seu embasamento legal de todas as nossas atividades e atitudes.
Estávamos em uma manhã de quinta-feira, cerca de 11 dias após havermos iniciado a investigação, Maria Alice nos procura aflita e pede que a encontremos em um restaurante no bairro dos Jardins, ela receava que o seu marido a estivesse seguindo, imediatamente eu e minha assistente fomos ao seu encontro.
Por motivo de segurança, sempre chegamos com 10 minutos de antecedência pois sabíamos que era bem possível que o Júlio a estivesse seguindo, sentamos em uma mesa próxima a entrada e a aguardamos, na hora aprazada ela chegou, adentrou rapidamente ao restaurante e sentou-se a nossa mesa e começou a descrever o ocorrido:
-A reação do Júlio, ao apresentar as provas, foi a pior possível, ele começou a me chamar de mentirosa, a me ofender, quase me agrediu, disse que eu estava louca, apanhou o relatório de minhas mãos e amassou, e gritou que quem fez isso com ele ainda iria pagar muito caro! – disse ela.
Com certeza, ele estaria desesperado e tentaria nos intimidar para que não prosseguíssemos com o nosso trabalho.
Esclarecemos a ela que se acalmasse, pois pelo perfil que traçamos dele, esta reação já era esperada, na verdade ele já estava totalmente apaixonado pela Suzy, ela ainda afirmou que após amassar os relatórios ele os pegou do chão e foi procurar a Suzy para esclarecer o ocorrido, ela temia que ele pudesse fazer alguma violência contra a Suzy, o que certamente ele não faria, assim procuramos tranquiliza-la e juntos traçarmos as nossas próximas ações.
Ela saiu, e nós ainda esperamos mais um pouco e retiramos o nosso carro junto aos manobristas do restaurante, ao sairmos pedi que minha assistente Miriam, tomasse a direção do nosso Nissan Kicks, pois observei dois rapazes em uma moto popular, estacionados do outro lado da rua nos observando, ao sairmos do restaurante, eles vieram atrás e pedi que Miriam, sem dizer o que eu havia presumido, virasse a direita, em seguida a direita e seguidamente a direita de novo, eles nos seguiram e após a terceira curva a direita, já não havia mais duvidas que eles nos seguiam, então já com o carro estacionado, esperamos que eles nos passassem, e parassem em um semáforo ao nosso lado, momento que abri o vidro do meu lado e entreguei meu cartão de visitas a eles, que ainda tentaram explicar algo, mas pedi que simplesmente entregassem meu cartão a quem havia mandado nos seguir, agindo assim também descobriríamos se a tentativa de seguimento teria partido do Júlio ou da Suzy.
Como não houve o contato e nenhuma solicitação, concluímos que o seguimento não partiu do Júlio Cesar, provavelmente seriam Suzy e o Joel que nos estudavam para o combate que a esta altura, era quase certo.
Nos fim de semana que se seguiu, Maria Alice nos reportou que Júlio Cesar, simplesmente não teria mais conversado com ela, agia como se simplesmente ela não existisse, assim nós a orientamos a buscar provas e evidencias nos negócios dele, computador, celular, tudo que nos pudesse esclarecer qual golpe os malfeitores estariam planejando.
Na segunda feira pela manhã, nos encontramos novamente  e ela nos relatou que havia examinado o notebook que ele utilizava em sua casa, e descobriu uma série de e-mails através dos quais ele preparava a locação por 10 anos de um Condomínio Inteiro comercial para uma grande empresa do ramo de saúde, e que a indicação e a gestão do projeto seria da Dra Suzy, que apresentara a empresa e atuaria como gestora do projeto.
Ao saber deste fato, Maria Alice confrontou o Júlio que novamente negou tudo, mas posteriormente soube de fonte segura que o negócio seria fechado justamente no dia seguinte a primeira conversa dela com o marido, o que obviamente frustrou a concretização do negócio, e testemunhas ainda disseram a ela que Suzy esteve no escritório no dia seguinte e saiu gritando e contrariada a negativa de sua proposta.
No dia seguinte, a frustração do nefasto negócio; Suzy arrumou a mala e saiu em viagem e intensificamos nossas ações em direção do namorado Joel, descobrimos ainda que, após o inicio do relacionamento entre Suzy e Júlio Cesar, a Suzy que residia no apartamento alugado pelo Joel, a questão de alguns meses havia pedido e alugado um outro apartamento no mesmo edifício mas de propriedade da Construtora do Júlio Cesar, tendo legalmente alugado este outro apartamento. Investigamos e descobrimos que o Joel mantinha o apartamento que foi desocupado pela Suzy, alegando aos administradores que ali residiria, contudo ele mantinha residência em outro Condomínio, muito mais luxuoso, então concluímos que ele se valia deste apartamento unicamente para os encontros amorosos com a Suzy, pois sendo no mesmo prédio, estes encontros tornavam-se mais fáceis.
Estabelecia-se assim, sem sombra de dúvida o triangulo amoroso, e nos remetia a certeza que o maior golpe, ainda estaria por vir.
Dias depois, a Suzy volta de viagem e posta nas suas redes sociais a bela viagem que fez a Campos do Jordão-SP, para esfriar a cabeça e descansar do seu estressante trabalho, hospedou-se em um luxuoso hotel desta chamada Suíça Brasileira, Júlio Cesar permaneceu na capital paulista, trabalhando e continuou sem falar com a esposa.
Ao percebermos as primeiras postagens da Suzy, esclarecendo que em todo processo investigativo, de acordo com cada perfil, iniciamos um acompanhamento intensivo das redes sociais; e imediatamente partimos para Campos do Jordão e flagramos Suzy e Joel em uma suíte “lua de mel” do luxuoso hotel, detalhe que ao informamos a Maria Alice, ela consultou contas e cartões do casal e flagrou polpuda retirada de dinheiro sem explicação, as vésperas desta viagem, o que nos levou a concluir que foi exatamente o Júlio que financiou a lua de mel do casal malfeitor.
Em posse de todos estes fatos, nossa cliente novamente confrontou o marido, que novamente ficou nervoso e negou que permanecia envolvido por Suzy.
Nesta altura dos acontecimentos, Maria Alice optou por separar-se definitivamente de Júlio Cesar e através do nosso departamento jurídico ingressou com ações legais de separação pertinentes à sua nova realidade.
Como eles não mais se falavam, ou seja, tratavam apenas o necessário para a convivência, a ação correu em seus tramites normais e ele foi intimado a deixar a sua casa e iniciar a partilha e a separação do casal.
Com a data da audiência se aproximando, Júlio Cesar consultou o departamento jurídico de sua Empresa, a amante Suzy e percebeu que Maria Alice não era tão ingênua como se mostrava, desta vez ela havia agido com maestria e de fato tomaria uma sábia decisão, para proteger e conservar seu patrimônio e da família, que estaria visivelmente ameaçado se a Suzy conseguisse seu intento.
De nossa parte, baseados nas provas e situações investigadas, orientamos a Maria Alice sobre o que poderia acontecer, quando se lida com malfeitores deste quilate, sua consequência seria, até mesmo para a segurança dela e de sua família.
Contudo, leitores como dissemos no início desta história, nem sempre a realidade transita junto da razão, o coração por vezes invade o imaginário e modifica a nossa história e a nossa vida.
Suzy, percebendo que seu intento criminoso estaria prejudicado pela divisão do patrimônio do Júlio Cesar, em conluio com o Joel, novamente nos surpreende e desta vez volta a carga em mais um golpe.
Dias antes da audiência de separação do Júlio.
Suzy e Joel, preparam um golpe de mestre, ela receita para o Júlio Cesar alguns remédios que geram alguns sintomas para que a própria Maria Alice perceba na sua convivência.
Sintomas como: irritação, dores de estomago e esquecimento; Suzy fez com que Júlio Cesar utilizasse alguns remédios, que segundo ela seriam afrodisíacos, dariam energia e combateriam a ansiedade e aliviariam os seus problemas pessoais.
Júlio Cesar, como todo bom apaixonado, aceitara de bom grado a medicação sugerida, e em poucos dias apresentava seus efeitos colaterais.
Suzy receitou remédios para o Júlio que os tomou e teve a reação esperada, com o único intuito de comover a Maria Alice.
Suzy, por sua vez, contatou novamente a Maria Alice afirmou que o Júlio estaria muito mal, porque, amava muito Maria Alice e a sua família e que embora, ela o amasse muito, estaria disposta a deixa-lo para que ele fosse feliz novamente com a família que ele tanto amava.
A manobra feita pela Suzy e seu comparsa, surtiu o efeito necessário, pois após esse contato, na véspera da primeira audiência da separação; Maria Alice decidiu perdoar o Júlio e cancelar a separação e dar uma nova chance ao seu casamento.
Respeitamos sempre as decisões dos nossos clientes, aliás a nossa obrigação é descortinar a verdade sem, contudo, interferir, pois somente NÓS somos os arquitetos do nosso destino.
Após a notícia, sentei em minha cadeira predileta, acendi meu cachimbo e fiquei pensando até onde poderia chegar a maldade humana, quanto vale a força da grana, os relacionamentos baseados em golpes e trapaças; descortinou-se em meus olhos toda a minha história, afinal como sempre digo são mais de 30 anos buscando justiça e revelando verdades, toca o telefone minha assistente me chamando para ir embora, ao recordar seus olhinhos e sorriso verdadeiro, concluo que a humanidade não está perdida.
Para nós da Baker Street, caso encerrado, embora todas as evidências nos direcionem para um futuro não tão feliz para a nossa cliente e agora amiga Maria Alice, temos conosco uma grande lição.
Até onde chega a maldade humana e a manipulação das pessoas em busca do dinheiro fácil, é logico que gostaríamos de contar uma história com final feliz, mas a realidade nua e crua, escreve-se em linhas tortas que tem como objetivo ensinar e aprender, como diria o grande Nelson Rodrigues “A VIDA COMO ELA É!”.
FIM...         

Investigador Particular - UM NOVO CASO - MÍDIA SOCIAL

UM NOVO CASO - MÍDIA SOCIAL O mês é fevereiro, e vivíamos o ano de 2017, penso que a sociedade despertava para a influência das mí...