28 - UM CASO, QUE NÃO ERA UM CASO!



28 - UM CASO, QUE NÃO ERA UM CASO!




Mais um dia de trabalho no escritório Baker Street.
Por muitas vezes o trabalho de um detetive particular não se resume apenas a atender "casos", realizar investigações, por vezes basta a orientação correta para "cumprir a nossa missão", AFIRMAN´S PROBATE (quem afirma tem de provar), e "provamos“ não só através de fatos mais também de conclusões.
Vamos ao caso:
Tarde fria em São Paulo, o trânsito mais infernal do que nunca, estávamos roteirizando algumas "escoltas' de executivos que nossos agentes às vezes realizam para uma empresa multinacional, quando toca o telefone, atendemos:
-Boa Tarde, Baker Street!
-Boa Tarde, meu nome é Aguinaldo tenho um grande problema com minha ex-esposa e preciso muito de sua ajuda, estou desesperado, gostaria que me atendesse agora, contudo posso adiantar que meu "caso' é de extrema urgência, e não sei mais a quem recorrer!
Não é comum atendermos sem um horário aprazado, mais diante do tom de desespero do cliente, marcamos de atendê-lo em nosso escritório dentro de algumas horas.
Exatamente depois de uma hora, nosso interfone anuncia a chegada do cliente, a porta abre, adentra ao escritório um homem de 40 anos, branco, estatura média, trajando roupas caras com um "ar" de desespero, demonstrando até um certo desleixo quanto a sua aparência sendo reflexo do momento vivido.
Pedimos a ele que se sente e acomode-se, oferecemos um café, e passamos a ouvir a sua história:
-Meu nome é Aguinaldo, sou casado com a Estela há dez anos, possuímos uma filha de nome Clara de sete anos, sou Empresário e ela é Gerente de um conceituado Banco, tivemos alguns problemas de ordem íntima e há questão de um mês resolvemos nos separar - efetuando uma pausa e tomando um pouco d´agua para prosseguir.
-Onde é então que reside a sua aflição?
-Prosseguindo, ontem encontrei uma amiga da Estela, em um barzinho que frequento semanalmente, e ela me disse que minha ex-esposa estaria tendo um caso com outro homem, ela os viu juntos jantando em um restaurante que frequentávamos, e isso me transtornou, fico imaginando se ela já não estaria com ele antes do fim do nosso casamento me fazendo de idiota durante todos esses anos, isso me transtorna ao ponto de perder a razão!
-Calma meu amigo, inicialmente vamos aos fatos, como dizia nosso amigo Sherlock Holmes "nunca chegaremos à verdade sem os fatos", assim vamos enumerá-los:
-Qual foi a real causa da sua separação?
-Acho que a causa real, foi meus “ciúmes”, sabe a Estela é muito bonita, ela é também advogada e trabalha como gerente de contas em um Banco Multinacional e convive diariamente com homens importantes e eu bem sei como funciona estes bancos, aliás também trabalhei lá, é um ambiente com muita promiscuidade onde as mulheres são cortejadas a toda hora e com ela, eu não admitia isso!
-Separaram-se há questão de um mês e como ficou a guarda da sua filha?
-A guarda da nossa filha ficou com ela, tenho apenas o direito de vê-la duas vezes por semana, sendo que é por muito pouco tempo, pois na verdade nossa separação foi meio que tumultuada, inclusive ela me acusou de agredi-la, acusação que estou respondendo, motivo pelo qual possuo algumas restrições de visita e de contatá-la. - Em ato contínuo - passou-me às mãos a cópia de dois boletins de ocorrência policial para minha apreciação.
Analisando os boletins policiais conclui que nosso cliente, pelo menos em duas ocasiões agrediu a ex-esposa fisicamente.
-O que deseja que venhamos a investigar? – Indaguei.
-Quero que descubra com quem que minha ex-esposa está me "traindo", inclusive com fotos e filmagens e há quanto tempo isso vem ocorrendo.
- Descreva a cronologia dos acontecimentos destes últimos dias em relação ao seu "encontro" com a amiga da Estela, e o que você fez em seguida de "saber" que ela se encontrava acompanhada deste "amigo"?
-Estamos na quinta-feira, hoje foi o dia de visitar minha filha na casa dela, aliás esta foi uma visita monitorada pela babá, no sábado próximo será o aniversário de sete anos da Clara e haverá uma festa em um bufê aqui no bairro, não perdi tempo, pedi que a babá solicitasse que Estela viesse até nós no parque do condomínio, e disse pessoalmente a ela; que ainda tiraria esta questão a limpo, que me aguardasse, e estranhamente ela não temeu as minhas palavras, pelo contrário passou a rir e debochar das minhas ameaças, fiquei muito irritado e saí de lá imediatamente.
Pago qualquer preço ao Sr., preciso tirar esta história a limpo, minha honra depende disso, na segunda feira próxima encontrarei novamente a amiga dela que me prometeu maiores detalhes deste facínora, o Sr. pode começar o "caso" imediatamente!
-Você pretende estar presente à festa de aniversário no próximo sábado? – Perguntei.
Claro que sim, não perderei esta festa por nada deste mundo, muitos dos nossos amigos e parentes que estarão presentes sequer sabem da nossa separação, e uma vez que paguei por esta festa; nada mais justo que eu esteja presente para contar a todos.
Por tudo o que relatei preciso que comece urgentemente o meu "caso", podemos começar imediatamente?
Sentado à sua frente, observei-o bem nos olhos e então conclui:
Seu "caso' meu amigo, já está concluído e se quer saber a verdade sua ex-esposa nunca o traiu, você exagerou em seu ciúmes, e pelas agressões físicas pôs fim a um casamento de dez anos, isso é fato; agora a "amiga" dela que o "encontrou" por acaso em um barzinho onde você costuma frequentar semanalmente sempre no mesmo horário, e que lhe relatou "o encontro" dela e outro homem, bem a uma semana da festa de aniversário de sua filha, que estava programada há quase um ano, não passa de uma "manobra" de sua ex-esposa, sabedora de suas crises de ciúmes, o deixaria em aflição e "brigaria" com ela criando um motivo real para que sua presença na festa fosse impedida, deixando-a a vontade sem ter de explicar aos parentes e amigos a sua separação.
A verdade é que através de suas atitudes você perdeu (até agora) este relacionamento com a Estela, agora ainda há tempo de modificar as suas ações e conservar o amor e consideração da pequena Clara, comportando-se como pai e evitando brigas e desgastes de relacionamento que no futuro minará com certeza a sua relação com sua filha.
Portanto meu amigo, você não precisaria tanto de um detetive, precisa sim, rever as suas atitudes e controlar seu temperamento em suas atitudes futuras.
Sugerimos que se controle e mantenha a calma, vamos investigar para posicioná-lo entre nomes e situações, contudo só poderemos agir se prometer controlar-se e não colocar mais nada perder.
Realizadas as tratativas de contratação, iniciamos imediatamente o caso, nem precisamos lembrar que as nossas deduções estavam absolutamente corretas, no final de uma semana concluímos a ex-esposa não possuía nenhum relacionamento e certamente as informações da sua “amiga” não possuíam outro sentido.
Ao ouvir a nossa conclusão, o Sr. Aguinaldo percebeu a lógica do nosso raciocínio e dos fatos apresentados demonstrando "alívio" e concordando e agradecendo efusivamente, declarando que de agora em diante; empenhara-se em uma mudança radical de postura para modificar sua situação perante a família.
Amigos e leitores podem estar questionando, se após o ocorrido ele realmente mudou suas atitudes, será que as pessoas, diante da vida podem realmente mudar?  
Assim é a vida e o trabalho continua.


FIM.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

1 -UMA HISTÓRIA REAL ...SOBRE A MALDADE HUMANA.

30 – ADULTÉRIO - MAIS UM CASO!